quinta-feira, 9 de abril de 2009

O gelo está solto!




Nº 164 - Paraná, 09 de abril de 2009


ON THE ROCKS


No último sábado, a plataforma Wilkins, uma estrutura de gelo maciço de quase 16.000 Km², desgarrou-se da Península Antártica e começou a vagar pelo oceano. Plataformas são bancos de gelo flutuantes presos ao continente.

O aumento médio de temperatura da Terra, em todo o século 20, foi de 0,7OC. Nesse mesmo período, a elevação média de temperatura da Antártica foi de 3OC. Quase seis vezes mais!

O oceano se aquece mais rapidamente devido a sua inércia térmica. Ele absorve mais de 80% do calor adicionado ao sistema climático. Se grande quantidade de calor está sendo absorvida pelos oceanos é sinal de que o reservatório de energia do planeta está desequilibrado.

Uma das respostas a este brutal aumento de temperatura na região tem sido a extinção das plataformas. Wilkins foi a sexta delas. Os cientistas estimavam o seu desgarramento para daqui a 30 anos!

Como se vê, a ciência acerta suas previsões sobre o que acontecerá, mas erra flagrantemente sobre quando ocorrerá.

A velocidade das resultantes dos eventos climáticos tem surpreendido a todos. Pudera! não há sobre a face da Terra nenhum modelo matemático que possa fornecer dados confiáveis sobre o comportamento do planeta diante deste verdadeiro coquetel de mudanças.

Além disso, devemos colocar as barbas de molho porque a mesma ciência que erra no quando, também se equivoca no quanto. Veja só:

Estima-se que, neste século, a depender das emissões de gases estufa, o nível dos oceanos subirá entre 30cm a 40cm. Cerca de 60% deste aumento será causado pela expansão térmica das águas (água quente sobe). Todavia, os modelos não levam em conta a possível aceleração do aumento das perdas de gelo nos pólos, o que pode elevar em mais 10cm a 20cm o nível dos mares. E o que é errar em 30 anos o descolamento da Wilkins senão uma aceleração do aumento das perdas de gelo nos pólos?

Nenê Rabo-de-Galo, pau-d´água de primeira linha, com o fígado magoado a poder de muita cachaça e a mente turvada no cocktail de tantas informações sobre mudanças climáticas, com voz e cara de sono, pergunta:

- A Antártica é o gelo da parte de cima ou da parte de baixo do globo?

- Parte de baixo.

- Então, pode encher que vai ficar tudo on the rocks!

Bebedeira passa. Mas, segundo se estima, as consequências das mudanças climáticas farão com que o ambiente onde vivem plantas e animais (também somos animais) siga alterado por, pelo menos, mil anos após as emissões terem sido estabilizadas.

- Pópará! – ordena Nenê, antes de dar mais um tapa na branquinha e fechar para sempre a garrafa.

Um forte abraço e até sexta que vem.



Luiz Eduardo Cheida é médico, deputado estadual e presidente da Comissão de Ecologia e Meio Ambiente da Assembléia Legislativa do Paraná. Premiado pela ONU por seus projetos ambientais, foi prefeito de Londrina, secretário de Estado do Meio Ambiente, membro titular do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) e do Conselho Nacional de Recursos Hídricos.


Este recado pode ser reproduzido, mantido o texto original e o currículo do autor.

Edições anteriores do Recado do Cheida estão disponíveis no site http://www.cheida.com.br