quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Romeu e Julieta


Shakespeare escreveu a tragédia Romeu e Julieta que tem o mais alto percentual de rimas dentre seus poemas, assim, teve uma solução notável para o primeiro encontro dos dois jovens: as primeiras quatorze linhas do diálogo entre eles formam um soneto.

Romeu

Se a minha mão profana esse sacrário,
Pagarei docemente o meu pecado;
Meu lábio, peregrino temerário,
O espiará num beijo delicado.

Julieta

Bom peregrino, a mão que acusas tanto
Revela-me um respeito delicado;
Juntas, a mão do fiel e a mão do santo,
Palma com palma terão se beijado

Romeu

Os santos não têm lábios, mãos, sentidos?

Julieta

Ai, têm lábios somente para a reza.

Romeu

Fiquem os lábios, como as mãos, unidos;
Rezem também, que a fé não os despreza.

Julieta

Imóveis, eles ouvem os que choram.

Romeu

Santa, que eu colha o que os meus ais imploram.


Fonte: Heliodora, Bárbara. Falando de Shakespeare. São Paulo: Pespectiva, 1997.