terça-feira, 31 de março de 2009

Autores Brasileiros: livros infantis






Joel Rufino dos Santos
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Joel Rufino dos Santos (Rio de Janeiro) é um historiador, professor e escritor brasileiro. É um dos nomes de referência sobre cultura africana no país.

Nascido no bairro de Cascadura, cresceu apreciando a leitura de histórias em quadrinhos.

Já adulto, foi exilado por suas idéias políticas contrárias à ditadura militar então em vigor no país. Morou algum tempo na Bolívia, sendo detido quando de seu retorno ao Brasil (1973).

Doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde lecionou Literatura, como escritor tem extensa obra publicada: livros infantis, didáticos, paradidáticos e outros. Trabalhou como colaborador nas minisséries Abolição, de Walter Avancini, transmitida pela TV Globo (22 a 25 de novembro de 1988) e República (de 14 a 17 de novembro de 1989).

Obras publicadas















* A botija de ouro (Ática)
* A Pirilampéia e os dois meninos de Tatipurum (Ática)
* Afinal, quem fez a República? (FTD)
* A questão do negro na sala de aula (Ática)
* Assim foi (se me parece)
* Aventuras no país do pinta-aparece (FTD)
* O Balão mais bonito do mundo (Cultrix)
* Constituições de ontem e hoje (Ática)
* Crônica de indomáveis delírios (Rocco)
* Cururu virou pajé (Ática)
* Dudu Calunga (Ática)
* Gosto de África, histórias de lá e daqui (Global)
* História: Brasil Colônia (5ª série) (FTD)
* História: Brasil, Império e República (6ª série) (FTD)
* História: Moderna e Contemporânea (7ª série) (FTD)
* História Geral, Antiga e Medieval (FTD)
* História de Trancoso (Ática)
* Mania de trocar (Moderna)
* O Burro falante (Moderna)
* O Caçador de lobisomem (Salamandra)
* O Curumim que virou gigante (Ática)
* O Dia em que o povo ganhou (Civilização Brasileira)
* O Marinheiro Marinho (Ática)
* O Noivo da Cutia (Ática)
* Presente de Ossanha (Global)
* O Que é racismo? (Brasiliense)
* O Saci e o curupira (Ática)
* O Soldado que não era (Moderna)
* Quando eu voltei, eu tive uma surpresa (Rocco)
* Quatro dias de rebelião (FTD)
* Rainha Quiximbi (Ática)
* Robin Hood, o salteador virtuoso (Scipione)
* Uma estranha aventura em Talalai (Global)
* Zumbi (Mode)
* Como podem os intelectuais trabalhar para os pobres (Global)
* Quem ama literatura não estuda literatura (Rocco)

sábado, 28 de março de 2009

Ilustradores fora de série


A artista Kveta Pacovská é ganhador a de todos os prêmios da área.


Nelson Cruz é um artista que sabe usar luz e sombra como na imagem para o livro Moby Dick.



Wolf Erlbruch fez essa ilustração para o livro "A senhora Méir eo Melro". Seus livros podem ser encontrados em português.




A ilustração é de Lisbeth Zwerger, artista austríaca. Suas marcas são as faces rubrs dos personagens e tecidos. A imagem foi extraída dolivro The Strange Child.

terça-feira, 24 de março de 2009

terça-feira, 17 de março de 2009

domingo, 15 de março de 2009

Henrique IV e os ladrões no Brasil

A justiça e as botas

THEÓFILO SILVA

A devastadora entrevista de um senador por Pernambuco acerca da corrupção no PMDB, o retorno triunfal de corruptos notórios ao palco central da política e a recente discussão pelo STF de soltar os criminosos cujo processo não tenha transitado em julgado lembraram-me de um diálogo que há muito eu queria apresentar aos leitores.

Em Henrique IV – parte II, escrita em 1598, Shakespeare filosofa acerca da ação da justiça em relação aos ladrões de dinheiro público. Um pilantra conversa com um empregado de hotel acerca do roubo que estes farão na carruagem que transporta o tesouro do rei, que passará por ali dentro em pouco. O Camareiro aponta a ele os riscos que correrão ao praticar tal crime. O gatuno, Gadshill informa-o de que ele não é um ladrão qualquer, pelo contrário, é muito bem relacionado. Que seus amigos são poderosos, e que “têm lá suas preocupações”. Diz, Gadshill:

Gadshill - ... Porque estão continuamente preocupados, rezando ao próprio patrono: a riqueza pública, ou melhor dizendo, não estão rezando para ela, pois que a devoram... Porque a esfolam de cima para baixo e fazem botas com a sua pele.
Camareiro – Como! Fazem botas com a riqueza pública? Resistirão à água dos maus caminhos?
Gadshill – Claro, claro. A Justiça as engraxa.

Agradeço a Shakespeare todos os dias, por essa sábia conversa. Estamos falando do século XVI, de uma imagem que é um retrato fiel do Brasil do século XXI. “Esfolar a riqueza pública e fazer botas com ela, para serem engraxadas pela justiça”, é ver demais.

Ah! Como precisamos de um choque de moralidade no Brasil, nasceria um país novo daí. É só perguntar ao povo nas ruas. “A sabedoria grita nas ruas e ninguém escuta”. Se alguns de nossos juízes que compõem as chamadas cortes superiores, lessem o diálogo de Gadshill e o Camareiro e impedissem o “engraxamento das botas”, nasceria um país novo daí.

É inacreditável, mas o mero fato de um juiz de corte superior aceitar uma denúncia criminal vira motivo de festa. Lembremo-no

Esta mensagem foi enviada por Chico Nogueira.(circulando na internet)

sábado, 14 de março de 2009

Casamento do meu filho.



Quem vai casar? Vai casar com quem?

Camões em homenagem ao dia da Poesia



Camões dominava de maneira inigualável a criação de sonetos. Um de que gosto muito foi inspirado em um episódio do Velho Testamento da bíblia e contém a mais bela declaração de amor ao meu ver.

Sete anos de pastor Jacó servia
Labão, pai de Raquel, serrana bela;
Mas não servia ao pai, servia a ela,
E a ela só por prêmio pretendia.

Os dias, na esperança de um só dia,
Passava, contentando-se com vê-la;
Porém o pai, usando de cautela,
Em lugar de Raquel lhe dava Lia.

Vendo o triste pastor que com enganos
Lhe fora negada a sua pastora,
Como se não a tiver merecida,

Começa de servir outros sete anos,
Dizendo:-Mais servira, se não fora
Para tão longo amor tão curta a vida!

CAMÕES, Luís Vaz de. In: Obra completa.

sexta-feira, 13 de março de 2009

Não desista

Blogagem coletiva



Caso deseje participar:
1. Deixe seu nome e blog na caixa de comentários deste post, http://fio-de-ariadne.blogspot.com, até o dia 27 de abril; 2. leve um dos selos da coletiva ;
3. Faça um post sobre o evento no seu blog, contendo este passo-a-passo e divulgue o selo;
4. Prepare na data marcada - dias 29 e 30 de abril- um post falando sobre o filme , sobre a experiência de assistí-lo, o que marcou, o que quiser falar sobre ele. Trata-se do seu filme preferido e, e claro, você é quem manda.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Um poeta popular dá sua opinião sobre a menina estuprada


A EXCOMUNHÃO DA VÍTIMA
Miguezim de Princesa


I
Peço à musa do improviso
Que me dê inspiração,
Ciência e sabedoria,
Inteligência e razão,
Peço que Deus que me proteja
Para falar de uma igreja
Que comete aberração.

II
Pelas fogueiras que arderam
No tempo da Inquisição,
Pelas mulheres queimadas
Sem apelo ou compaixão,
Pensava que o Vaticano
Tinha mudado de plano,
Abolido a excomunhão.

III
Mas o bispo Dom José,
Um homem conservador,
Tratou com impiedade
A vítima de um estuprador,
Massacrada e abusada,
Sofrida e violentada,
Sem futuro e sem amor.

IV
Depois que houve o estupro,
A menina engravidou.
Ela só tem nove anos,
A Justiça autorizou
Que a criança abortasse
Antes que a vida brotasse
Um fruto do desamor.

V
O aborto, já previsto
Na nossa legislação,
Teve o apoio declarado
Do ministro Temporão,
Que é médico bom e zeloso,
E mostrou ser corajoso
Ao enfrentar a questão.

VI
Além de excomungar
O ministro Temporão,
Dom José excomungou
Da menina, sem razão,
A mãe, a vó e a tia
E se brincar puniria
Até a quarta geração.

VII
É esquisito que a igreja,
Que tanto prega o perdão,
Resolva excomungar médicos
Que cumpriram sua missão
E num beco sem saída
Livraram uma pobre vida
Do fel da desilusão.

VIII
Mas o mundo está virado
E cheio de desatinos:
Missa virou presepada,
Tem dança até do pepino,
Padre que usa bermuda,
Deixando mulher buchuda
E bolindo com os meninos.

IX
Milhões morrendo de Aids:
É grande a devastação,
Mas a igreja acha bom
Furunfar sem proteção
E o padre prega na missa
Que camisinha na lingüiça
É uma coisa do Cão.

X
E esta quem me contou
Foi Lima do Camarão:
Dom José excomungou
A equipe de plantão,
A família da menina
E o ministro Temporão,
Mas para o estuprador,
Que por certo perdoou,
O arcebispo reservou
A vaga de sacristão.


Obs. Já vi outros textos do autor, mas não tenho referencias sobre ele.

terça-feira, 10 de março de 2009

Já ouviu falar do Gato Felix?

Alguém conhece o Gato Felix hoje em dia?

Felix the Cat
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


O Gato Félix em um desenho animado.

Felix the Cat (em português conhecido como Gato Félix) é um personagem de desenho animado, criado na época dos filmes mudos. Seu corpo preto, olhos brancos e sua risada característica, combinados com o surrealismo das situações criadas nos desenhos, fazem do personagem um dos mais conhecidos do mundo. Foi o primeiro personagem de desenho animado popular ao ponto de, por si só, atrair o público.



História
O Gato Félix e seus sobrinhos Inky e Winky no curta April Maze





O sucesso de Felix entrou em declínio no final da década de 1920, com a chegada dos desenhos animados sonoros, particularmente os do Mickey Mouse, de Walt Disney. Na época, Sullivan e Messmer não quiseram aderir à produção sonora e Felix ficou ultrapassado. Em 1929, Sullivan decidiu finalmente fazer a transição e começou a distribuir desenhos animados sonoros de Felix. A iniciativa fracassou, sendo suspensa no ano seguinte. Sullivan faleceu em 1933.

Felix ainda teve uma breve ressurreição em 1936, com desenhos animados sonoros e em cores e depois, quase desapareceu, mas foi salvo pela televisão, muito tempo depois.

Os desenhos animados de Felix começaram a ser exibidos pela TV dos EUA, em 1953. Joe Oriolo (Criador do Gasparzinho), que dirigia as tiras de quadrinhos de Felix, redesenhou o gato, dando-lhe pernas mais compridas, para uma nova série de desenhos destinados à televisão. Oriolo também acrescentou novos personagens e deu a Felix uma nova bolsa mágica de truques, que podia assumir uma infinita variedade de formas, obedecendo às ordens de Felix.

Atualmente, o personagem continua aparecendo em uma variedade de produtos - desde roupas até brinquedos. Recentemente foi produzida a série The Twisted Tales of Felix the Cat, em que o gato é mostrado com um traço mais antigo, em uma ambientação fantástica, com objetos falantes e que tais, além de algumas piadas de duplo sentido, voltadas a um público mais adulto.

O personagem
Felix, por Peter Klashorst

Dentro de um estilo clássico de desenho, apesar da nítida evolução com o tempo, Félix é um gato preto, com uma silhueta levemente recurvada, normalmente gentil e alegre, que sempre se mete em confusões. Costuma usar o próprio rabo como ferramenta, algumas vezes retirando-o do próprio corpo - sendo este um dos exemplos mais famosos e antigos dos poderes esdrúxulos dos desenhos animados.

Quando o rabo não é suficiente para a realização do feito, ele rapidamente usa sua bolsa mágica (magic bag of tricks na versão original) para criar desde uma mesa até um navio ou avião. Felix nunca se separa da bolsa mágica e, embora muitos vilões, como o Professor e seu ajudante Rock Bottom, tentem roubá-la, Felix sempre escapa. Ele também conta com a ajuda de Poindexter, um menino gênio, que, ironicamente, é sobrinho do Professor. Outro vilão que vez ou outra atormenta Felix é o Mestre Cilindro (Master Cylinder), um robô malvado que foi enviado à Lua. Há também o Gênio da Garrafa, que quer colocar Felix na garrafa, mediante algum plano diabólico.

Curiosidades

* Monteiro Lobato escreveu uma história chamada "O Gato Félix", onde um gato impostor, se passa pelo personagem "Félix" dos desenhos animados, a história foi incluida mais tarde, como um capítulo do livro Reinações de Narizinho. Entretanto, na maioria das adaptações para TV do Sítio do Picapau Amarelo, o "Gato Félix impostor" é substituido por outro gato: na versão de 1977, ele é um gato do Coronel Teodorico, já na versão de 2001, ele é um personagem chamado de "O Gato Contador de Histórias" que engana a Narizinho dizendo ser um personagem de conto de fadas, mas não deixa claro para ela se ele é o Gato de Cheshire de Alice no País das Maravilhas, ou o Gato de Botas.

* No episódio do Chapolin "Expedição Arqueológica" um cientista (interpretado por Ramon Valdez) cita uma frase "Olha, o Gato Félix".
* O Gato Félix fez uma pequena participação no final com os personagens em Uma Cilada para Roger Rabbit

texto e foto extraidos de Wikipedia

domingo, 8 de março de 2009

Que lingua era falada na Europa na Idade Media?






Na Idade Media falava-se na Europa varias linguas que foram misturadas ao latim que lá foi introduzido a partir do século III a. C. Com o tempo foram-se formando novas linguas em todas as regiões da Europa ocidental. Foi nesse contexto, por volta do século X, que começaram as produções culturais nas linguas regionais, dentre elas o português.
O centro da produção concentrava-se em Provença e dali se tornaram conhecidas em lingua provençal.
È interessante ressaltar aqui que até essa época a cultura, os escritos antigos eram propriedade da Igreja Católica e ficavam nas bibliotecas dos mosteiros. Alguns poucos, que sabiam grego, podiam ler os escritos. A esse respeito recomendo o livro, ou filme "O nome da Rosa". A seguir alguns exemplos dos poemas dessa época.





Cantigas de escárnio e maldizer
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

As cantigas de escárnio e maldizer são um gênero de poesia da Idade Média. Fazem parte do período literário chamado Trovadorismo, que em Portugal encontrou expressão entre os anos de 1189 (ou 1198?) e 1385. Foram escritas, assim como todos os textos populares da época, em galego-português.

A principal característica dessas cantigas é a crítica ou sátira dirigida a uma pessoa real, que era alguém próximo ou do mesmo círculo social do trovador. Apresentam grande interesse histórico, pois são verdadeiros relatos dos costumes e vícios, principalmente da corte, mas também dos próprios jograis e menestréis.

Cantigas de Escárnio

As cantigas de escárnio utilizam sátiras indiretas para atingir a pessoa satirizada. Faz-se o uso de ironias e expressões de duplo sentido, e o objeto nunda abc identificado, como neste exemplo de cantiga de autoria de João Garcia de Guilhade:

Ai, dona fea, foste-vos queixar
que vos nunca louv[o] em meu cantar;
mais ora quero fazer um cantar
em que vos loarei toda via;
e vedes como vos quero loar:
dona fea, velha e sandia!...
(...)



Cantigas de Maldizer

As cantigas de maldizer são bem mais diretas, chegando a identificar a pessoa satirizada, em alguns casos. O uso de expressões de baixo calão é freqüente, com a clara intenção de difamar o satirizado, como na cantiga de Pero Gargia Burgalés:

Roi queimado morreu con amor
Em seus cantares por Sancta Maria
por ua dona que gran bem queria
e por se meter por mais trovador
porque lh'ela non quis [o] benfazer
fez-s'el en seus cantares morrer
mas ressurgiu depois ao tercer dia!...

sexta-feira, 6 de março de 2009

Para refletir: Vejam a que ponto chegamos.






SEUS PROBLEMAS ACABARAM...(circulando na internet)






Está preocupado com a violência nas ruas do Rio ou São Paulo?

Cansado de perder seu carro nas chuvas de verão?

Irritado por ter que dar dinheiro para o flanelinha?

Quer passear mais tranqüilo na Faixa de Gaza?

Seus problemas acabaram!

Chegou o Knight XV!

Tamanho:

6 metros de comprimento, com 3,57 m de entre-eixos,

2,48 m de largura e expressivos 2,54 m de altura.

Blindagem:

Vidros de 6,4 cm de espessura, além de materiais compostos, como aramida, kevlar, aço de alta resistência e alumínio balístico. Até os pneus são blindados -- radiais de uso misto, Mickey Thompson Baja -- e podem continuar rodando mesmo após terem sido atingidos. As rodas, feitas de alumínio forjado, têm aro 20.

Motor:

V10 6.8, capaz de gerar 405 cv de potência e 69,1 kgfm de torque.

Propulsor ecológico e com sistema flex..

Itens de segurança:

- Câmeras capazes de captar imagens térmicas na frente e na traseira. Esse dispositivo assinala, através da detecção do calor emitido, imagens mais nítidas que um sistema infravermelho tradicional;

- A circulação de ar pode ser interrompida, acionando cilindros de oxigênio no porta-malas;

- Pode ser equipado com geradores de fumaça, nas laterais e na traseira;

- Detector anti bombas na parte inferior do veículo, que funciona em conjunto com a partida do motor por meio de controle remoto;

Outras características:

- Tanque de combustível comporta 151 litros;

- Possui tração nas quatro rodas e reduzida, de acionamento eletrônico por meio de um botão giratório no painel;

- Telas de cristal líquido e DVD;

- Frigobar;

- Umidificador de charutos;

- Cortinas elétricas nas portas e janelas;

- Podem ser instalados bancos traseiros 100% reclináveis (como de avião);

- Dois tetos-solares (blindados);

- PlayStation 3!!!

Equipado com tudo isso, ele faz o Hummer H2 parecer um brinquedo!


Notícia ruim ...

Apenas US$ 310 mil!

selo presente



Ofereço aos blogs a seguir que devem ffffffffazer o mesmo procedimento feito por mim, não esquecendo de colocar o link de quem deu o presente:

# ALGO IMPORTANTE ?
# Ambiente Ecológico
# amor e poesia
# Anjo de Duas Caras
# Anselmo Pereira Bittencourt
# AS MELHORES RECEITAS
# Auto-Retrato: Nascida em Ve...
# autoconceito
# BABEL.com

quinta-feira, 5 de março de 2009

Indicação de livros






"A Estratégia Bancroft" é um romance de Robert Ludlum (1927-2001) que ficou famoso pela trilogia levada ao cinema iniciada com "A Identidade Bourne" que teve emorme sucesso. Editora Rocco Tradução: Alexandre Martins



A Catedral do Mar

Sucesso na Europa, com mais de 2 milhões de exemplares vendidos, sendo 1,5 milhão só na Espanha, A catedral do mar, do advogado catalão Ildefonso Falcones é uma saga épica que narra a vida de reviravoltas de Arnau Estanyol e sua ascensão de filho de um servo fugido à condição de barão, tendo como pano de fundo a construção da Igreja de Santa Maria do Mar, um dos mais belos templos góticos medievais.



Saiba mais sobre esse livro no link:

http://www.acatedraldomar.com.br/

Nele, além de informações vocêpode ver um slide show da Catedral de Santa Maria do Mar.

quarta-feira, 4 de março de 2009

Cenas de nossa velha infancia





























"E a gente canta
E a gente dança
E a gente não se cansa
De ser criança
A gente brinca
Na nossa velha infância..."



Tá ficando velho, hein? Mas recordar é viver!

terça-feira, 3 de março de 2009

Poema de Mario Quintana


O Mapa

Olho o mapa da cidade
Como quem examinasse
A anatomia de um corpo...

(E nem que fosse o meu corpo!)

Sinto uma dor infinita
Das ruas de Porto Alegre
Onde jamais passarei...

Há tanta esquina esquisita,
Tanta ameaça de paredes,
Há tanta moça bonita,
Nas ruas que não andei
( E há uma rua encantada
Que nem em sonhos sonhei...)

Quando eu for, um dia desses,
Poeira ou folha levada
No vento da madrugada,
Serei um pouco do nada
Invisivel, delicioso

Que faz com que o teu ar
Pareça mais um olhar,
Suave misterio amoroso.
Cidade de meu andar
( Deste já tão longo andar!)

E talvez de meu repouso...

segunda-feira, 2 de março de 2009

Desabafo de um professor


Carta aberta à futura Secretária de Educação do Rio de Janeiro, Cláudia
Costin por Declev Dib-Ferreir em Brasil - país dos absurdos, Desabafo, Educação, Opinião, Política, Reflexões

Prezada Cláudia,
Sou funcionário do município do Rio, professor de Ciências.Tenho este cargo por mérito próprio, por passar em um concurso, há quase 5 anos - não tenho cargo por indicação política.
Li uma matéria com uma entrevista sua nO Globo, dia 08 de novembro de
2008, página 18.
Na ocasião, algumas frases e propostas me chamaram a atenção. Tanto pela
inocência quanto pela maldade das mesmas.
Gostaria de, mui respeitosamente, discutir alguns pontos. Vejamos:
1 - Você diz que pretende investir na qualificação de professores, que
poderão ganhar computadores portáteis?.
Eu agradeço muito o computador, porque estou precisando, pois o meu pifou.
Mas isso, siceramente, não creio que seja investir na qualificação do professor. Já tive a oportunidade de escrever sobre isso por aqui, quando da mesma compra pelo Estado.
Tenho um amigo que ficará com 5 computadores portáteis em casa e não
sabe o que fazer com tantos. Ele e a esposa são professores, ambos do Estado e da prefeitura do Rio. Já tinham um, ambos ganharam do estado e ambos
ganharão da prefeitura.
Professores, cara futura secretária, querem salário decente. Com ele podem comprar seus próprios computadores.
E muitos já o fizeram, pois o preço baixou bastante. Eu mesmo ia comprar um - como eu disse, o meu pifou - mas não vou. Estou esperando ganhar. Mas preferia um bom aumento de salário para comprar o que eu próprio escolhesse e ainda aumentar minha renda.
2 - Você faz uma pergunta: Por que uma cidade que tem tantos mestres e
doutores de qualidade não consegue fazer um Ideb compatível com os de países desenvolvidos??.
O Demétrio Weber já respondeu, mas eu insisto em te responder esta pergunta também.
E o principal motivo é simples: porque mesmo sendo mestres ou doutores
de qualidade, temos que trabalhar em dois, três, quatro ou mesmo em cinco lugares diferentes pra poder somar renda e ter um salário compatível com os de países desenvolvidos!!!
Sem contar as condições em que trabalhamos, secretária, que nem de longe é compatível com as de países desenvolvidos.
A pergunta seria ao contrário: por que não tratamos como os países desenvolvidos os nossos tantos mestres e doutores de qualidade??.
3 - Por fim, sua maior pérola, a frase "Quando um aluno é reprovado, é sinal que o professor falhou."
Fico muito, muito, muito apreensivo que uma pessoa que tenha este pensamento venha a coordenar a maior rede municipal da América Latina.
Para facilitar o entendimento da minha lógica - que pode ser muito profunda para quem nunca entrou numa sala de aula do ensino fundamental de uma escola encravada numa favela - farei um paralelo com o médico.
Imaginemos uma pessoa que desde que nasce não tem cuidados médicos, não
se cuida, não faz exercícios, não se alimenta direito, bebe, fuma, é sedentário, estressado etc.
Essa pessoa passa mal e vai ao médico. O médico receita remédios e faz
uma série de recomendações dizendo que, se não seguir, ele pode morrer.
O doutor marca uma nova consulta para daqui a alguns meses, para
verificar o seu progresso.
A pessoa não fez nada do que o médico receitou e ainda faltou à consulta.
Passa mal de novo e vai ao médico. O doutor dá uma bronca, faz as mesmas
recomendações, passa as receitas novamente, marca uma nova consulta.
O paciente, mais uma vez (ou muitas vezes), não faz o que o médico manda
e morre.
O médico falhou?
Pela sua lógica, quando um paciente morre, é sinal que o médico falhou?.
Oras, garanto que neste caso a senhora achará que o culpado é o paciente, já que o médico fez de tudo para salvá-lo?
Será que o professor também não o faz?
Mas vamos examinar o nosso caso. Por partes e desde o início.
a) quando a criança foi concebida, quem falhou foram os pais, que
souberam gozar mas não evitar a gravidez;
b) quando a moça estava grávida falharam ela, o pai, a família e o
Estado (assistência social, hospitais), que não deram a ela e ao feto um pré-natal decente - ou mesmo nenhum pré-natal;
c) quando ele nasceu e era um bebê cheio de necessidades falharam os
pais que colocaram no mundo uma criança sem ter condições mínimas de criá-lo e falhou o Estado (segurança alimentar) em não dar a ele o que necessitava
para seu pleno desenvolvimento;
d) quando ele era uma criança falhou o Estado mais uma vez por não
oferecer a ele a pré-escola, tão importante no desenvolvimento intelectual e psicomotor nesta idade. Não obstante este ser um direito garantido pela
Constituição Federal:

Art. 208. O dever do Estado com a educação será efetivado mediante a
garantia de:
IV - atendimento em creche e pré-escola às crianças de zero a seis anos
de idade;
e) nesta mesma idade e até tornar-se o adolescente ao qual a senhora se
refere - aluno do fundamental - falham o Estado, as polícias, os bandidos, os filhinhosdepapai, os atores da Globo, os artistas e todos aqueles que usam drogas, ao condená-lo a viver em um local extremamente violento, com disputas entre facções rivais, com invasões desumanas de policiais em suas casas e um cotidiano de estatísticas piores que de guerras;
f) quanto à sua moradia, falham os políticos filhosdaputa, o Estado (habitação), o empresários, os especuladores, por fazê-lo viver em submoradia, sem o mínimo de conforto, sem espaço para ele, com uma densidade demográfica japonesa dentro de sua casa;
g) falham os publicitários que mentem para que ele não seja ninguém se não tiver o que ele não pode ter;
h) falham as emissoras de telvisão ao entrarem diariamente em contato com ele com imbecilidades que não ajudam em nada seu intelecto;
i) falham os empresários de ônibus que o restringe de andar pela cidade por conta do preço da passagem e do péssimo serviço que oferecem;
j) falham os locais culturais que são inacessíveis a ele (inacessíveis financeiramente ou mesmo barreira-cultural-invisivelmente);
k) falha a sociedade como um todo que o quer longe;
l) falha a estrutura da escola que só o tem em um pequeno período do dia, deixando-o nas ruas no resto das 24h;
m) falha o Corpo de Bombeiros que carrega bandidos carnavalescos desfilando em carro aberto pelas cidades, ao mostrar que quem tem valor é quem tem dinheiro, não importa de onde vem;
n) falham os jornais de grande circulação que estampam nas primeiras páginas, praticamente todos os dias, as fotos e colunas de fofocas de traficantes e outros bandidos - inclusive tenho um O Dia que tem a primeira capa toda falando do casamento de um traficante - glorificando quem é bandido, mostrando a ele que esse é o caminho;
o) falha o Conselho Tutelar ao superproteger mesmo quando fazem merda,
nada fazendo e não mostrando que além de direitos também tem obrigações;
p) falham as editoras de revistas que só colocam a preço de quase nada as revistas mais imbecis que existem, com fofocas e coisas do gênero;
Enfim, apesar de a Constituição prever que a educação, direito de todos
e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a
colaboração da sociedade (Art. 205), a senhora vem me dizer que, quando
um aluno é reprovado, é sinal que o médico professor falhou??
Francamente.
É justamente o professor que está lá dentro, cara futura secretária de educação, com o aluno, diariamente, tentando fazer com que ele estude, com que ele dê valor ao estudo, com que ele aprenda!
Veja pelos exemplos abecedários que dei em cima, que o professor é praticamente o único que quer que ele seja alguém pela educação; o professor que dá valor ao estudo; o professor que luta contra toda a merda que a sociedade faz com ele desde antes dele nascer, para que ele se salve.
Veja, prezada futura, o que diz a Constituição Federal:

CAPÍTULO II - DOS DIREITOS SOCIAIS
Art. 6º. São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, o lazer,
a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à
infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.
Quais destes direitos o Estado - do qual você tem íntima relação, a ver
pelos cargos que já ocupou - oferece ao aluno - e com qualidade?
Quase nenhum, né?
E você vem me dizer que é o professor que falha, como se só o que
fazemos em sala de aula é o que conta, é o que faz um aluno ter sucesso
ou não???
Francamente.
Assinado:
Um professor, mestre, doutorando, que tem diversos empregos e, mesmo assim,
luta para que seus alunos possam superar toda a merda que a sociedade faz com eles para que possam ser alguém na vida e que, justamente por se sentir incapaz de fazer isso com o que o Estado lhe oferece, não acredita em reprovação.

(Circulando na internet)


Acrescento que se todos rebatessem as críticas feitas ao professor com o feito acima talvez fôssemos mais respeitados.